domingo, 10 de maio de 2009

Mascara de marfim


MÁSCARA DE MARFIM.
(poet ha, Abilio Machado)
Meu sorriso aos poucos
ganhando espaço cria couraça
escudo disforme
para que não reconheçam minha dor.
meu sorriso é como máscara
esconde meu eu e meu tudo
sentimentos invasores
da caverna amedrontada
e em vã agonia
me priva de minha própria alegria.
Em viagem ao infinito
do ponto do fim!
Vê os sulcos que marcam?
São sulcos das lágrimas
que rolaram pela minha face
que vazaram pelas janelas d'um coração!
Um vulcão que desperta
na solidão do meio de gente
e meu espírito ainda inocente
sente
uma dor de solidão!
A chuva me banhou o corpo
minha alma aproveitou
essa foz
e deleitou-se a maltratar
com memórias do dia que foi...
Anoiteceu meu colo
de meu ventre insaciado
minha mente insana se veste
de vestidos dos momentos!
Lábios que sussurram um nome
que este vento leve...
Meu sorriso perpetua
em máscara demente!
(dir.res.aoAutor)
(040307)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente o que achou do texto se foi doseu agrado e ofereça sugestões... Obrigado.