segunda-feira, 27 de julho de 2009

Sturm und Drang

Por POETHA ABILIO MACHADO.

STURM und DRANG
(tempestade e ímpeto)

Por POETHA ABILIO MACHADO.

. (Uma luz passeia no espaço lúdico do palco...).

OFF__
A PORTA(R)

A porta das mentirasdas verdades...

Procuram lá fora.
Agora, a porta. Porta fechada
Não me leva a nada
Nem saio
Nem fico aqui.
A porta sem chave.
O tempo perdido... Não ter aquilo
Que era só meu?
Tranquei esta porta
Joguei chave e trincos.
Tudo fora!
Agora se cale
Sou todinho seu.
Agora trancada!
Também as janelas?!Tranquei meus sentimentos...Tranquei meus medos...
Me desorientei!
Não tenho respostas
Nem faço perguntas...

Que horas são essas?
Que me fiz todo teu?Porque me sinto sozinho
Perdido no breu?

Ou nas brasas
Que são os braços seus...


.((Poetha, Abilio Machado. 07)

.(As luzes mostram uma sala qualquer, a mulher está sentada fazendo as unhas e o marido chega...).

H__ (Entra em casa)
M__ Oi, né?!
H__Oi!
M__Tudo bem?
H__Tudo...
M__Trabalhou muito?
H__Nem me fale... Hoje foi o bicho...
M__Então tá cansado...
H__Tô, um prego.
M__Toma um banho então...
H__É. Vou tomar... Preciso mesmo... Cheiro assim de cigarro.

(Ele entra em outra coxia)

M__É? (Ela levanta de onde está e corre e pega a roupa que está sobre o bastidor, pega a camisa dele para vasculhar e ver se acha marca de batom, ela em cena e ele lá de dentro)
H__Estes ônibus, as pessoas nos pontos de ônibus, fumam sem parar...
M__Até na fila dos postos de saúde... Médicos e enfermeiras saindo fumar...
H__Deixando de atender para ir fumar?!
M__É, acontece sempre. (Ela revista a calça dele)
H__Enquanto houver lucro do imposto o governo não proíbe, mesmo que para o tratamento de doenças se gastem milhões... (Ele procura a calça no lugar que havia deixado, sonda) Que faz?
M__Só verificando se não esqueceu de nada, vou colocar para lavar.
H__Não, peguei de manhã, o cheiro só estava na camisa...
(Ele recoloca a calça)
M__Tá estranho... Que foi? Vai sair?
H__ Acho que vou dar uma voltinha.
M__Vai sozinho?
H__É... Preciso pensar numas coisas.
M__Vai onde?
H__Sem rumo. Tipo sem lenço e sem documento.
M__Só?!
H__É, mulher, só!
M__Sério isso?!
H__É sério...
M__Quer que eu vá com você? Fazer companhia e tal. Me arrumo rápida.
H__Não... Pode deixar, prefiro ir sozinho... Fica aí, tua novela...
M__Nem ta tão boa. Vai sair, andar sozinho, dar um role pela cidade...Uhm...
H__É! Simples assim... Procurar a simplicidade para acalmar o espírito.
M__Mas vai a pé então?
H__Não vou de carro...
M__Mesmo? Tem gasolina... O carro?
H__Tem, abasteci de manhã.
M__Sabe se vai demorar?!
H__Não demoro, coisa perto de uma hora acho...
M__Ah, tem lugar certo para ir então?
H__Tem não, só dirigir, espairecer...
M__Não prefere ir a pé, aproveitar para fazer um exercício, sabe que ajuda na respiração...
H__Não mesmo, vou de carro.
M__Ajuda na barriguinha...
H__Me achando gordo é?
M__Ajuda o coração... Coisa assim de colesterol... Essas coisas...
H__De carro mesmo!
M__Posso pedir uma coisa?
H__Pode...
M__Traz alguma coisa...
H__O que... Sorvete, chocolate, um lanche?
M__Um... Sorvete...
H__Qual sabor?
M__Traz aí de creme...
H__Tudo bem, na volta eu trago.
M__Só na volta?
H__Claro, senão derrete, vai querer que eu saia rodando por aí com um sorvete.
M__Vai na sorveteria já, tem uma aqui perto, compra, passa aqui e deixa.
H__Não, me atrapalha. Na volta eu trago e tomo com você.
M__Mas você não gosta de creme.
H__Compro de outro sabor.
M__Mas aí vai ficar caro e você não gosta de gastar.(Faz sinal com a mão).
H__Nada a haver. Não sou tão mão fechada assim.
M__Então compra de flocos.
H__Não gosto de flocos também.
M__Morango?
H__Dá alergia em você, lembra? Fica assim...
M__Putz, é mesmo.
H__E?!
M__Já sei! Traz de chocolate então.
H__ Certo, chocolate então. Beijo, até depois...
M__Melhor... Traz de creme mesmo para mim, e traz o que quiser para você.
H__ Foi o que te disse desde o começo.
M__Você está chateado.
H__Não... Só que...
M__Irônico agora é?!
H__Deixa para lá... Vô nessa...
M__Não vai me dar um beijo de tchau?
H__Querida...
M__Não me chame de querida. Você só fala querida quando ta bravo.
H__Mas é que eu volto logo, só vou ali e já volto.
M__Eu quero um beijo agora e não depois.
H__Tá, tudo bem.(Dá o beijo).
M__Que xoxo... Dá um mais caliente.
H__Não exagera...
M__Escovou os dentes, é?
H__Você não escova os dentes quando toma banho?
M__Só depois das refeições e antes de dormir...
H__O que tem eu escovar os dentes... Na verdade nem escovei, enxagüei com aquele líquido novo...
M__Enxaguante bucal, é? É alguém importante...
H__O que disse?
M__Nada não, se cuida... Me diz vai com o seu ou com o meu carro...
H__Com o meu...
M__Vai com o meu, ele precisa sair por causa do motor, faz tanto que está lá na garagem...
H__Vou com o meu.
M__O meu tem CD...
H__Eu instalei um no meu semana passada, lembra eu te disse.
M__Não disse.
H__Disse sim...
M__Não disse...
H__Disse sim. E eu não vou sair para ouvir música, vou sair para acalmar a mente, só isso.
M__É ta precisando, acalmar os nervos...
H__Mesmo, to sim. Será por que né?
M__Está sendo irônico de novo, quer dizer o que eihm?
H__Tô indo...
M__Não demora... Ei!
H__Diga...
M__Tá levando a chave?!
H__Eu sempre saio com a chave. (Mostra).
M__Ei... A cart...
H__E sempre levo a carteira... (Mostra).
M__Ei...
H__Que sa... Que foi agora.
M__Nossa! Que grosseria, nada não. Vá. Vá.
H__Calma. Faz um tempão que estou tentando sair, mas não consigo, parece que você não me deixa.
M__Ah meu querido não to segurando ninguém não...
H__É esta mania de me chamar...
M__Uhmmm.
H__Uhmmm o que?!
M__Por que quer sair, e sozinho?
H__Para não precisar falar com ninguém...
M__Tem nome este ninguém?!
H__O que disse?
M__Vai encontrar alguém...
H__Que quer dizer com isso.
M__Nada não...
H__Acha que vou sair para te trair...
M__É que de repente senti um peso nesta região aqui, umas agulhadas.
H__Que história é essa?
M__Nada, esquece. Brincadeirinha.
H__Você está estranha...
M__Eu não... Mas sabe como é, né?
H__Sei não me diga.
M__Homens.
H__Que tem os homens...
M__Tudo igual.
H__Generalizando?
M__Uhmm.
H__Falando de mim?
M__Claro que não, to esse negócio aí que disse: generalizando.
H__Então não é o meu caso. Sabe que eu não faria isso.
M__Saber mesmo ninguém sabe...
H__Mulher que papo doido é esse...
M__Acredito. Vá então.
H__Até.
M__Espera.
H__Ca... Ramba. Diga!
M__É só lembrando para você levar o celular seu estúpido!
H__Prá que levar?! Pra você ficar me ligando de minuto a minuto?
M__Nem ligo tanto assim...
H__Esquece do meu jogo de futebol...
M__Ah lindo. É só para ver se está mesmo na cancha com aqueles seus amigos...
H__Que são seus amigos também...
M__Nem todos são...
H__Marcação cerrada...
M__Desculpa se causo desconfiança, é que eu fico com saudade na maioria das vezes...Só!
H__Tudo bem, desculpa se fui grosso contigo... Ta bom?!
M__É?!
H__Sabe que te amo, né?
M__Eu também... E já que não vai levar o celu posso...
H__O que?!
M__Fuçar aqui... No teu celular?!
H__Pra que?
M__Sei lá, quem sabe um joguinho.
H__Você quer meu celular para jogar?
M__É.
H__Tem certeza?
M__Claro que é...
H__Liga o computador, lá tem um monte.
M__Não sei mexer direito lá... É um monstro aquilo.
H__O que? Você quem me pediu para eu comprar, falou que todas as suas amigas tinham perfil no orkut e só você não tinha...
M__Era só para saber se outra pessoa tinha...
H__O que?
M__Se tinha orkut...
H__Como assim...
M__Uma pessoa que vivia me contando coisas de mensagens do trabalho...
H__Nem todos que tem computador vivem fofocando em redes de amizade, minha querida.
M__Sei.
H__Tô indo, não vou levar o celular, se quiser mexa aí, não tem nada que me condene...
M__É?
H__É. Malú.
M__Começou a dizer meu nome... Ta ficando bravo.
H__Não estou bravo, e este não é seu nome Marluce...
M__Não! Não fale este nome abominável...
H__ Você me surpreende... Estou curioso com suas atitudes.
M__Onde é que está?
H__Está o que?
M__O que devia estar no celular.
H__É só ir para jogos e...
M__Cadê...
H__ Não é isso, é?
M__Ahn... Cadê?!
H__O que?!
M__Nada, esquece! Não achei...
H__Dá aqui que te coloco nos joguinhos... Louco isso.
M__Já disse. Esquece... To noutra.
H__Agora quem ficou nervosinha foi você...
M__Não estou nervosa...
H__Então tudo certo? Vô que tá tarde.
M__Ei, só mais uma....
H__Que é?!
M__Opa. Só lembrando que não quero o sorvete mais não.
H__Ah é?!
M__É!
H__Não pode ser, devo ter esquecido, mas devo ter maltratado Jesus, é única resposta, cansei deste papo dinossáurico...
M__Que história é essa de dinossauros aí...eihm?
H__Não existe mesmo...
M__E de como é? Maltratar Jesus?! Não fale assim do nosso senhor... Você não é pagão...
H__É , maneira de se expressar mulher...
M__Vai onde sair?
H__Não sei mais...
M__Me faz... Esquece...
H__ Bom, vamos esquecer mesmo, porque eu não vou mais sair...
M__Oba... Pensou melhor e vai ficar comigo?
H__ Vou dormir...
M__Prefere ir dormir do que ficar comigo?
H__Não, caramba! Só vou dormir.
M__Tá nervoso, é?!
H__Claro. Que merda!
M__Porque não sai dar uma voltinha pra esfriar a cabeça? Ta precisando...

.(Passagem de tempo. DE_S_ILUSÃO.Poetha, Abilio Machado. 200107).

H__Fecho-me em casuloM__Coberto de meus errosH__Procuro a entrega. Mas não adormeço...M__Sei agora!H__Que o afã da aurora. Engrandece a Alma, e transporta M__Imagens que choramH__Sei agora!M__Que na madrugada. Lá fora...H__O mistério ao momento. É minha própria memória!M__Sei agora o que atordoa é a dor...
H__A vida imensa que planejadaM__Restava...H__Paixões.M__Luxúrias.H__Sei agora que a invasão desta angústiaM__Viaja por dentroH__Corrói o mais forte dos mortais. M__A desilusão temidaH__Surgiu M__Me iludiH__Em ti. M__Teu nome paixão. H__Meu nome solidão. Amei...

(AMOR LATENTE. Poetha, Abilio Machado040207).

M__Amei sim...H__Amei mulheres...
M__Amei homens e mulheres...H__Sei, eu também amei mulheres...
M__E?
H__Homens...Alguns deixaram riscasM__e outros cicatrizes profundas,H__Alguns me amaram e outros me roubaramM__Alguns tiraram-me nacos de carneH__outros me elevaram à razão das nuvensM__Alguns me deitaram e me fizeramH__outros se entregaramOS DOIS__( um faz a segunda voz ao outro)Amei sim...Amei profundono fundoda almaa pequena ilusãode vidas que passaramque me rodearamalguns existemoutros não mais vi!M__Só existe hoje um silêncio de cúmplicesH__de segredos engavetadosM__de lembranças desejáveisH__e outras lamentadasM__mas a vida é assimH__uma conquista aqui outra aliM__na memória a saudadeH__e no peito: Lágrimas...M__Lágrimas de verdade!

(Uma múisca toma conta do momento vida entre os dois e eles só se olham, em determinado momento PRÉ_CONCEITO DE ALMA! Poetha, Abilio Machado. 270107)
H__A luz me cegava. Os vultos à frente. Já não mais via. O estalo dado pela agulha. Do ferro cromado... Incandescia...M__Saia perdida uma vida, sem rumo.H__Bilhete só de ida... Na estação.M__Sem prumo, os laços tilintados, uma aliança que rolavaH__Buscava o infinito no fétido ralo!M__E o louco subia ao telhado e gritava:H__Que a vida se vá!M__Alguém na linha oposta ao hoje dizia:H__Que coisa é esta que sinto? M__Sentimentos que jamais tive, me atormentamH__Quem ousa despertá-los?M__Jamais useiH__Sou obtuso a mimM__Sou uma pueril revolta de anos que não vivi...H__Quero fraldar uma bandeira que nem sequer vi a cor,M__Só sei o que me contaramH__E só ouço o que quero ouvirM__Não sei a históriaH__Não amou...Não! Como ousa me chamar?M__Eu apenas em vômito sobre você e em mim?!H__Me deixo ir caminhando por aí, abandonado com minha dorM__Não. Me ame. Agora!H__Cale-se e calem-se as hordas que me trazem vida.M__Quer minha escuridão...H__ Quero permanecer obscuro.M__Tirar minhas próprias ranhuras...H__E só apontar a quem não conhece... M__A quem não sei. Mas sinto ciúmes loucos... Você, sua vida...H__ Cansei... Nem pretendo ser, saber, não sei!

.(Ela fica na sala, envolvida em si, quando se auto sugere).

M__O que foi que aconteceu? Foram os anos? Foram o... O que?...

.(O diálogo é solto em pequenos flashs desde o começo, primeiro o confronto, depois o amor... Que lhe causa dor).

. (Baseado no mini texto da comédia de Gino Saviotti).
. (Ele retorna à sala com um punhado de roupas...).

H__Estou indo... A mala...
M__Sabia, não agüentou quer me amar é?
H__De vez por todas, a mala...
M__O que é este punhado de roupas?
H__Estou indo... Sério.
M__Sem mais sem menos?!
H__Você me irrita sabia?
M__Eu? Você é insuportável...
(Ela levanta e vai par algum lugar)
H__Já vai? Assim...
M__Desaparece você. (Jogando a mala).
H__Da frente dos meus olhos.
M__Da minha presença.
H__Fúria com o rosto de céu.
M__Demônio fantasiado...
H__Tempestade estúpida...
M__Com tamanha máscara de amor!
H__Que eu amaldiçôo...
M__Que eu... Detesto.
H__ O dia em que olhei para ti.
M__Os momentos em que te adorei...
H__A lembrança de nosso amor sem receios...
M__Os nossos encontros... Dou de ombros...
H__Tem olhos?
M__Tem coragem?
H__De me fuçar assim sondando?
M__Você de ficar diante de mim...
H__Não posso negar que você é bonita.
M__Confesso que até acho você lindo demais.
H__Mas para que serve toda esta beleza...
M__E de que vale um deus grego assim lindo...
H__ Se for igual a você escondida pela culpa...
M__E se for acompanhado pela enganação?
H__Nunca...Nunca imaginaria...
M__Nunca...Nunca...Me convenceria...
H__Que um céu fosse um inferno.
M__Que um santo fosse o mal...
H__E no entanto, olha. Experimento.
M__ E no entanto é assim...
H__Vamos mulher, desaparece!
M__Depressa homem, sai daqui!
H__Eu não posso...
M__Eu não quero...
H__Não sei o que prende aqui...
M__É uma força estranha que me impede de sair...
H__Mas não é amor...Sei.
M__E também tenha certeza que não é carinho...
H__Me diz quem te prende, te acorrenta a mim...
M__Diga você, quem te faz voltar sempre ao braços meus?
H__Não vou nunca te dar tal prazer...
M__E você não terá essa alegria...
H__De te falar...
M__De te mostrar...
H__Que ainda te amo.
M__O quanto ainda te quero...
H__Das saudades que sinto nas noites frias...
M__De que não consigo te esquecer.
H__Da falta sob o edredon...
M__Das suas mãos nas minhas costas sob o chuveiro...
H__Por Deus, não consigo confessar...
M__Pode até morrer que de minha boca nada ouvirá...
H__ Continuaria amando...
M__Continuaria adorando...
(Voltam-se)
H__Se me fosse fiel...
M__Se fosse compreensivo...
H__E se você fosse sincera...
M__E se você tivesse pureza no coração.
H__Como é sincera a minha fidelidade...
M__Como é o meu amor.
H__Me enganou.
M__Me traiu.
H__Vai, sai daqui.
M__Já vai tarde.
H__Que magia me detém...
M__Que força é essa que me impede de...
H__Você tem um... Encanto...
M__E você tem uns olhos profundos...
H__Que me cativa...
M__Que me atraem...
H__A esperança me invade.
M__E teu sorriso me aviva o coração.
H__Por descobrir você digna e bela.
M__Por saber que não me traiu...
H__É difícil dizer, mas é você quem eu amo!
M__Sei que é difícil assumir, mas só você quem me atrai...
H__Adorada...
M__Minha paixão...
H__Tenho esperança...
M__É? Te amo!
H__Minha vida!
M__Meu bem.
H__Divina luz.
M__Meu deus.
H__Minha deusa.
M__Fofo...
H__Cada momento meu...
M__Cada sentimento meu...
H__Cada pensamento...
M__Afasto...
H__Repele...
M__Detesto...
H__Aborreço?!
M__Não...
H__Paz?! (Ela concorda com um gesto) Paz olhos queridos.
M__Paz boca amorosa...
H__Lábios quentes...
M__Só seus...
H__Não mais guerra?!
M__Não mais...
H__Mãos macias...
M__Meigo olhar...
H__Só a você meu corpo acende...
M__Só a você minha alma exalta.
H__Que revivamos nosso amor.
M__Que alimentemos a nossa paixão!
H__E que de tudo o resto se esqueça!
M__E que de tudo o resto se esqueça!
.(Acontece um grande beijo e as luzes caem em resistência, o ideal que as luzes fossem fechando em círculo, para demonstrar: ...que a vida é um círculo, sem começo e sem fim, é por ser apenas, por si só... sob uma música de mesma linhagem romântica, mas não clássica).
...Fim...






Elenco:
Homem:
Mulher:


Figurino:
Atentar para que haja confronto e estudo sobre a linha... Futuro-presente ou passado.



(pode-se usar narrador às poesias... Ou a loucura da troca de atores durante o diálogo, exemplo usar dois casais)



















“Uma peça onde não exista vontade de vivência e conhecimento autor-direção-ator, que não exista esse apetite de vida e aprendizado cego, capaz de passar por cima de tudo, visível em cada gesto e em cada ato, e força capaz de transcender a ação pela palavra e caráter da personagem, será uma peça inútil e fracassada". (Artaud)






.Técnica: Estudo sobre o ‘Movimento Estético e Literário’ 1770 a 1784, pesquisa do relacionamento.







Conduta de trabalho:

“A cena neste texto não se encontra pronta, ela vai sendo construída no dinamismo da ação que o autor pede, extraindo as forças latentes, depurando-as até encontrar os gestos e sons essenciais, a síntese e o estudo de relacionamento. Nesta peça não haverá desperdício, a exatidão com a qual cada ação será desenhada no espaço, a precisão com a qual cada traço será definido, uma série de pontos de partida e de chegada fixados exatamente de impulsos e contra-impulsos, os quais permitirão que a vida do casal faça uma revelação, revelação esta que se fará a cada espectador a seu tempo e com seu entendimento. Esta peça é um ato condensador, destila a essência da realidade, portanto, um teatro de pesquisa... Uma pesquisa dos sentidos eficazes, humor, movimento, drama, cólera, a irritabilidade e o amor, ingredientes que pertencem a todos tornando-se assim tais sentimentos eficazes naquele que realiza e eficazes naquele que olha, o espectador.”






Linha do tempo: sobre a intenção da linha a seguir e a colagem do nome...
NA ALEMANHA FLORESCE, ENTRE 1770 E 1784, O MOVIMENTO ESTÉTICO E LITERÁRIO DENOMINADO STURM UND DRANG (TEMPESTADE E ÍMPETO), CUJAS IDÉIAS DEFINEM O PRÉ-ROMANTISMO, DEFENDENDO UM ESTILO LIVRE E INDIVIDUALISTA, MOVIDO PELO IMPULSO IRRACIONALISTA, EM OPOSIÇÃO ÀS NORMAS CLÁSSICAS.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente o que achou do texto se foi doseu agrado e ofereça sugestões... Obrigado.