domingo, 27 de setembro de 2009

Uma vida de cão








UMA VIDA DE CÃO
– EIS UMA SOLUÇÃO!
De Poetha Abilio Machado.




– EIS UMA SOLUÇÃO!
De Poetha Abilio Machado.
Personagens: Flora – Bobby – Molly - Ludovico – Lucky – Garibaldo – Joça.
Cenário: O palco de bonecos, como se fosse um muro, o resto como uma rua, criar um
dispositivo para mudança de painel.
. Sobre o muro a gatinha passeia.
. Sob uma música parecida com a ‘Negro Gato’.
. Entra o cachorro apavorado.
BOBBY
__ São Bernardo me ajuda, aonde vou me esconder?!
MOLLY
__Miau. Não vai querer correr atrás de mim?
BOBBY
__Eu não sou deste. Tenho que me esconder e rápido.
MOLLY
__De onde veio este medo todo eihm valentão?
BOBBY
__De um brutamonte vestido de amarelo e com uma rede deste tamanho, assim
ó... Grandona!
MOLLY
__ Não vai me dizer que o Garibaldo está pelas ruas novamente...
BOBBY
__E veja só que nome. Vê se isto é nome de gente, até parece nome de galo...
Desalmado e sem coração.
MOLLY
__E seu irmãos, onde estão?
BOBBY
__Lembra da nossa história, não?
MOLLY
__Se lembro... Bem triste. Quase igual à minha. Mas agora eu tenho uma dona
que é mara! A Dona Flora!
BOBBY
__Então... A ninhada nasceu no inverno, morávamos numa pequena caixa, no
canto da garagem, eu e mais três irmãozinhos, e claro minha saudosa mãe... Ela aquecia
a gente e só saia de perto para comer e bem... Bom fazer outras caquinhas. Foi então
que tudo se abateu sobre a nossa família animal...
MOLLY
__Vou adivinhar! Veio uma pessoa à noite, pegou aquela caixa com vocês
dentro e levou para um lugar bem longe...
BOBBY
__É sim... Um terreno baldio. Perto de uma rodovia, mamãe saiu nos procurar,
ouviu nosso choro, foi atravessar o asfalto e veio um carro (passa o carro)... Igual a este
e passssssou sobre ela. Aí nossa vida mudou, vivemos desde então na marginalidade.
Precisamos de assistência social, da ajuda dos vizinhos e amigos, somos perseguidos e
vivemos daqui para lá, de cá para lá... Uma vida de bandido, de vira latas...
MOLLY
__Pobrezinhos. Ficaram sem casa, sem dono, sem comida, sem nadinha... Até
sem mamãe...
BOBBY
__Que era uma linda cachorra. Foi aí que conhecemos o Nestor.
MOLLY
__Nestor?!
BOBBY
__É o chefe da gang dos cães de rua, um meio pit bull de orelhas curtinhas.
MOLLY
__Se conheço... Vo, vo, você era da gang do Nestor, aquela quadrilha, aquele
monstrão deste tamanhão?!
BOBBY
__Nós não tínhamos ninguém e com ele eu aprendi a conseguir comida...
MOLLY
__E acabou levando seus irmãos não é?!
BOBBY
__Eu ia deixar eles com quem, você sabe como é difícil encontrar vaga em canil
nesta cidade.
MOLLY
__E assim acabou aprendendo a achar comida em sacos de lixo? Isto lá é vida!
BOBBY
__ Não é mesmo. Numa tardinha destas veio um homem bravo, tínhamos furado
o saco de lixo e ele então deu um pontapé no meu irmãozinho, o menorzinho, que saiu
todo torto e gemendo de dor, no outro dia o pobrezinho colocava sangue pela boca e não
agüentou, tremendo de dor foi para o céu dos cães...
MOLLY
__O mesmo céu que o padre de Suassuna naquele texto Alto da compadecida
encaminhou o cão de lá é?
BOBBY
__É bem possível, bem possível.
MOLLY
__É que quando chutam os animaizinhos pode romper o pulmão que acaba
também ferindo o coração... Triste mesmo. Falemos de coisas alegres... Seus outros
irmãos?!
BOBBY
__O Pivete também teve triste fim, ficou amigo de um menino engraxate e
acompanhava ele para todo lado, e acabou viciado em correr atrás de carros, dizia que
era por causa de mamãe, até bicicleta não escapava dele...
MOLLY
__Pela narração já vejo que foi para o canil celestial.
BOBBY
__Pois é... Uma motocicleta...
MOLLY
__ Atropelado?!
BOBBY
__Não! Assustado... Ela passou, ele se assustou e caiu pela ribanceira...
MOLLY
__E sua irmã?! Se deu bem ao menos ela...
BOBBY
__Que nada, caiu na vida... Agora atende pelo nome de princesa, mora na
esquina do mercadinho e vive ganhando pão no portão de Dona Nena.
MOLLY
__Tadinha... Perdida então?!
BOBBY
__ Totalmente.
MOLLY
__Virou uma cachorra de rua, mas quem é Dona Nena?
BOBBY
__É uma pessoa boazinha. Dá pão e água para todos os animais da rua, só não
recolhe ninguém para o quintal ajardinado dela... Ficamos sabendo dela por aí pela rua...
MOLLY
__Alguém devia fazer alguma coisa pelos bichinhos que vivem abandonados...
Vivem na rua e acabam morrendo e até mesmo se reproduzindo mais e mais... Sem
controle, sem responsabilidade.
BOBBY
__É, ouvi falarem sobre adoção responsável. Na qual câmera? Adote seu
cachorrinho, mas com responsabilidade. Lembre-se que ele é um ser vivo e não um
bonequinho para ficar jogado, ele precisa de carinho, atenção, comida, água, banho e de
vez em quando uma visita no seu médico de preferência...
MOLLY
__Muito bem... Eu tive uma dona que me apanhou na rua: toda feia, com
vermes, sarna, é horrível só em lembrar.
BOBBY
__Meus pelos têm caído, uma coceira danada e diarréia então? Nem me fale...
MOLLY
__Deixe eu terminar... Esta mulher me levou morar num casarão, onde os
animais ficavam todos misturados, ela tinha muita vontade, mas não sabia como cuidar
da gente...
BOBBY
__ Como pode isso?! Alguém pegar animal de estimação e não saber cuidar?!
MOLLY
__Olha só o Ludovico está acordando, Ele até ajuda a contar melhor.
LUDOVICO
__Molly?! Quem é o seu amiguinho?
MOLLY
__Este é...
BOBBY
__Bobby. Tudo bem com o senhor seu passarinho?
LUDOVICO
__Hoje estou muito bem. Moro com uma dona do bem, ela me trata com
carinho, e fica boba me vendo e ouvindo cantar, nem grita comigo como meu último
dono, ele até me levava para umas exposições e ficava me cutucando para que eu
cantasse...
MOLLY
__Eu contava para ele daquele lugar que nos conhecemos...
LUDOVICO
__Ela já contou que de faminta que estava ela tentava me abocanhar sempre que
me via?! Aquele lugar era horrível. Ainda bem que fecharam. Você acredita que além
da exposição eles me colocavam como isca para aprisionar outros passarinhos para
venderem nas feiras? Era tão triste, eu ficava numa gaiola e eles colocavam alpiste
numa armadilha ao lado, meus parentes me viam e vinham voando alegres e plackty...
Acabavam encarcerados, enjaulados. Você não tem idéia de quantos animais silvestres
são capturados e contrabandeados para fora do nosso país...
BOBBY
__Fiquei pensando se eles agüentariam ficar presos em uma gaiola e ainda teria
prazer em ficar cantando...
LUDOVICO
__E até mesmo presos em uma coleira ao pé de uma árvore ou em cabo de aço
de um lado a outro, solitários à noite para cuidar da casa.
BOBBY
__E você ainda está numa gaiola, mas vejo que está aberta...
LUDOVICO
__Eu fico aqui por que já me acostumei a esta vida de prisioneiro, eu sou livre,
mas aqui dentro da minha cabecinha sou preso, eu canto para dona Flora por que ela
arrancou a portinha daqui... Agora acho melhor você se esconder que está vindo uma
pessoa muito desagradável.
MOLLY
__Meu chapinha se esconde logo, que o Garibaldo Carroceiro está descendo a
rua e parece estar danado da vida.
LUDOVICO
__Fica abaixado aí, ele não entende nossa língua e eu traduzo tudo para você...
GARIBALDO
__ (Entra procurando como se fosse um espião, com uma rede na mão) Onde foi
parar aquele pulguento? Virador de lixeira. Que só sabe fazer sujeira? Você gatinha
escapou por pouco, porque foi morar com a lindona da Flora, você também né
passarinho piolhento... Sombra de passarinho... Mas ele não, aquele danado hoje não me
escapa...
MOLLY
__Ele está bravo mesmo, que você fez a ele?
BOBBY
__Eu? Bom, eu mordi a buzanfa dele...
GARIBALDO
__ Crianças, algum de vocês viu um pulguento passar por aqui? Não me
escondam nada, Titio não vai fazer mal a ele, não...
LUDOVICO
__Não... Apenas vai fazer sabão com o pobre do cachorrinho...
MOLLY
__Saaaabão?! Maaaatááááá-loooooos?! Que crueldade.
LUDOVICO
__Às vezes eles pegam os animais na rua para castrá-los.
BOBBY
__Isso quer dizer que eu ficaria sem... Não por favor, não deixem, eu sou um
cachorro macho e quero continuar assim... Quero ser pai... Ter uma linda cadelinha,
uma linda casinha branca no fundo e um quintal, um par de bacia de água e comida, um
brinquedo para ficar mordendo... Não, me ajudem...
FLORA
__ Que faz rondando minha cerca homem sem coração?
GARIBALDO
__ Por que me faz essas perguntas? Eu apenas cumpro o meu ofício, livrar das
ruas esses animais destruidores do lixo da nossa sociedade.
FLORA
__Acredita em magia seu Carroceiro?
GARIBALDO
__ Joy no crê nas brujas, mas que ay, ay.
FLORA
__Cuidado homem, pois que espalha o mal pode receber na mesma medida...
GARIBALDO
__ A senhora vá cuidar dos seus bichos que eles não lhe escapem, enquanto isso
eu vou capturar um cão sarnento.
FLORA
__Já pensou em tratá-lo ao invés de caçá-lo?
GARIBALDO
__Devo livrar as ruas destes transportadores de pulgas. (Ele sai).
FLORA
__Crianças acho que este homem merece uma lição, não? Pois bem, assims era...
Eu guardiã da flora e embaixatriz dos animais usarei de meu espanador mágico... Que é
minha varinha mágica, cada um usa a sua varinha a qual se dispõe, oras... “Garibaldo
malvado, que gosta de aprisionar pobres filhotinhos, por algumas horas ficará
transformado para que sinta na pele o que passa um cachorrinho.” (Faz uns melindres e
se ouve o som de um raio e um grito de ai).
. No palco de bonecos aparece um vira-lata, vestindo macacão laranja e gorro de rede
na cabeça.
GARIBALDO
__Socorro. O que aconteceu? O que fizeram comigo? Isso é bruxaria...
MOLLY
__Que nada... Você só está aprendendo uma lição...
GARIBALDO
__Estou ficando louco... Primeiro acho que sou um cachorro e agora que ouço
uma gata...
MOLLY
__ Liga não, curta para aprender, não deverá durar muito tempo...
GARIBALDO
__Sabe quanto tempo?
MOLLY
__Um ano ou dois...
GARIBALDO
__Impossível. Eu tenho família, amigos, trabalho, obrigações, até umas contas
para pagar na loja do Teobaldo.
LUDOVICO
__Quem ouve agora ele falar até poderá se comover, eu vou chorar...
GARIBALDO
__Não disse que estou ficando louco? Agora ouço até aquele pestilento do
passarinho da Flora.
LUDOVICO
__Pestilento não, ô meu camarada... Pega leve...
MOLLY
__É agora você é um dos nossos...
BOBBY
__Onde se meteu aquele maluco que não gosta de mim? Que eu vou pegar ele de
novo e dar uma boa mordida naquele traseiro gordinho dele...
GARIBALDO
__Bem à sua frente, quer morder agora? Então é aí que se esconde... Bom
saber...
BOBBY
__Ei, Ei, o que o senhor pensa que está fazendo? O senhor está denegrindo a
minha raça...
GARIBALDO
__ E você por acaso acha que eu escolhi ficar assim?
MOLLY
__E o senhor acha que os animais estão na rua por que querem...
BOBBY
__ Acha que chegou um dia e a gente disse: Cansei desta vida confortável e vou
viver na rua, passar fome e frio...
LUDOVICO
__Tenta agora que está na rua, tenta chamar a atenção de um novo dono, você
irá todo feliz e o que vai receber é pedrada, paulada, pontapés...
BOBBY
__O que tenho mais medo são das bombinhas... Conheço um menino que ficou
sem os dedos com as bombinhas e um cachorro amigo meu ficou sem a pata direita
quando pisou em cima.
GARIBALDO
__Essa coisa de violência é herança, vem dos pais isso, uns são ensinados e
outros incentivados a usarem violência... Eu mesmo, é meu trabalho, mas eu não
maltrato nenhum animal, eu só os recolho, minha parcela de culpa é bem menor...
BOBBY
__Agora o senhor é um dos nossos e eu vou te mostrar a cidade do nosso ponto
de vista... Não sei o senhor, mas eu estou com uma baita fome...
MOLLY
__Bobby, tenha cuidado com o mauzão. Aquele sim é um cachorro perigoso.
LUDOVICO
__É seu Garibaldo, tem um cachorro grande solto na rua, já deve ter visto ele,
aquele lá é um terror para todos, crianças e animais...
GARIBALDO
__Uhmm, acho que já sei do qual falam, mas acontece que aquele cachorro é de
uma autoridade, como a gente vai prender um animal de autoridade?!
LUDOVICO
__E desde quando a lei só te um lado?
MOLLY
__Olha lá eim guri... Ensina ele a atravessar a rua e nem dê água choca a ele...
GARIBALDO
__Que vida de cão. Vocês são sempre amigos assim é?!
Generated by Foxit PDF Creator © Foxit Software
http://www.foxitsoftware.com For evaluation only.
abilio_machadof@yahoo.com.br artemosferaciadeartes@8 rocketmail.com
BOBBY
__Claro senhor. A necessidade e o sofrimento formam estranhas alianças no
mundo animal, é tigre cuidando de porcos, macacos adotados por onça, gatos
alimentados por cadelas, já vi até galo cuidando de gatinhos... E ainda sou bem novo,
nos humanos não acontece a mesma coisa? E afinal somos uma espécie que não
fingimos, se gostamos gostamos, se não gostamos vamos logo latindo e mostrando os
dentes. E usam este fator para nos transformarem em cães de guarda.
MOLLY
__Vão, aproveite o dia seu Garibaldo. Bobby, muito cuidado.
.Uma leve mudança no cenário, do palco de bonecos.
BOBBY
__Vamos tentar falar com o Joca... Oi Joça como está este emprego?
JOCA
__Isto aqui não é emprego, é escravidão, não tenho nem o descanso que preciso.
GARIBALDO
__Todos têm que ter descanso, ainda mais aqueles com idade avançada.
BOBBY
__Você está ouvindo isso Bob? Além de maltratado, ainda sou ofendido.
GARIBALDO
__Eu não quis ofender...
JOCA
__Se eu fosse humano, poderia ser político aposentado depois de três mandato,
ou se fosse do povão poderia ir naqueles bailes de terceira idade.
BOBBY
__Vamos criar um movimento dos cães sem dono.
JOCA
__Não amigo. Movimento daqui e dali já tem... Precisamos de algo de peso, de
onde ninguém possa passar despercebido, organizado e atuante. Uma Fundação!
GARIBALDO
__Uma fundação?! Socorro! Esses cães são terroristas, socorro.
BOBBY
__Calma seu Garibaldo.
GARIBALDO
__Calma?! Vocês querem afundar alguma coisa e pedem calma?
JOCA
__Que garoto mais sem informação. É! Ele serve até como exemplo por que
precisamos de uma Fundação. Educar, levar informação. Uma Fundação é uma ação
focada em prol de... Seja ela qual ação for: cultural, literária, trabalhista e no nosso caso
de proteção e amparo. É uma instituição que recolha os animais da rua mas que os
tratem das doenças e aí arrumem novos donos a eles, que fiscalize os maus tratos, é tão
grande a atuação que só uma fundação mesmo.
BOBBY
__Como seria bom...
JOCA
__Eu acho que já existe, agora pouco notei que me sondavam, acho que este
homem que me comprou baratinho vai se arrepender de me maltratar.
BOBBY
__Será que vão te ajudar?
JOCA
__Ah Bob, eu tenho um sonho, sabe? Pensava eu que quando envelhecesse iria
ficar cuidando de crianças, aproveitando a experiência que tenho.
GARIBALDO
__Com crianças?
JOCA
__É. Chama-se terapia, faz um bem danado às crianças que precisam se
encontrar.
GARIBALDO
__Você tem experiência em busca e salvamento para ajudar a crianças perdidas?
JOCA
__É outro tipo de encontro, é o equilíbrio. Acalma os pequenos, o movimento do
passeio, o trote de carinho. Atitudes e ações importantes.
BOBBY
__E sem falar do prazer de andar a cavalo. Vamos agora Joça, ainda tenho que
mostrar muito a nosso amigo aqui.
JOCA
__Foi um imenso prazer. Você não parece ser mau, apenas um pouco ignorante
no que diz referência aos animais.
GARIBALDO
__Vou tomar o que disse como elogio. Mas ignorante... Ah.
. Eles vão saindo sob uma música de aventura, e passam várias vezes pelo cenário, cada
passagem um diálogo.
BOBBY
__Nossa cumpadi. Aquela lingüiça que você conseguiu estava muito boa...
GARIBALDO
__É, mas quase morro de tanto correr. Se o açougueiro me pega...
BOBBY
__Nem me diga, ele é bravo mesmo.
. Saem e voltam.
GARIBALDO
__A gente pode ir mais devagar? Eu quase fui pego por aquela roda, passou
assim do meu rabo.
BOBBY
__Nem me diga, ela passou mesmo. Venha.
. Saem e voltam, sob música de soldado.
BOBBY
__Você viu? Ah se eu fosse grandão eu ia quere ser soldado assim...
GARIBALDO
__Ele é meio chucrute. Um brutamonte.
BOBBY
__Mas viu o trabalho dele? Ele faz guarda, escolta, ele consegue achar drogas
nas mochilas e malas, é usado para fazer revistas... Seria tão bom ajudar os humanos a
se livrarem destas drogas...
GARIBALDO
__Lá no fundo eles não querem se livrar não.
BOBBY
__Como não?
GARIBALDO
__Quando você não quer uma coisa faz de tudo para acabar com aquilo, os
humanos dizem que algumas drogas podem e outras não podem, ou é sim para tudo ou é
não, com os animais não é assim?
BOBBY
__É. Se gostamos, gostamos. Se não gostamos, não gostamos.
GARIBALDO
__Um ofício muito interessante esse. Até que você ao é tão malandro.
BOOBY
__Vou confessar uma coisa, eu só vivo na rua por que não arrumei ninguém para
me adotar.
. Saem novamente.
. O cenário do muro de Flora novamente, com Molly e Ludovico. A música é suave,
com sons de pássaros e floresta.
MOLLY
__Me sinto no céu...
LUDOVICO
__Eu também. Olha lá quem chega.
MOLLY
__Minha dona. Meu amor, meu tudo.
FLORA
__Como estão minhas gracinhas. Notícias do rabugento?
MOLLY
__Ainda não. Bob levou ele para dar uma volta pela cidade.
LUDOVICO
__Compus uma melodia para seus ouvidos, quer ouvir?!
FLORA
__Não perderia um recital seu por nada.
MOLLY
__Eu perderia sim, principalmente por um bolo de carne assim ó.
.Ludovico assovia uma música tendo a música de floresta e outros pássaros ao fundo.
FLORA
__Que maravilhosa. Se te descobrirem vão querer fazer uma noite especial com
você na Casa de Cultura.
LUDOVICO
__Não sou egoísta, levaria vários amigos para participarem comigo.
FLORA
__É uma grande idéia. Poderíamos convidar aquele grupo.
MOLLY
__Vocês estão viajando é? Tomaram iogurte de berinjela? Tamos falando de um
passarinho.
FLORA
__Molly. Jamais diga a alguém que seus sonhos são bobagens. Você estaria
causando um desastre na vida dela.
LUDOVICO
__Que bonito isso.
FLORA
__São palavras de um grande escritor, Sheakspeare.
MOLLY
__Ops, foi maus. Não está aqui mais quem falou.
FLORA
__Olha só quem está chegando. Mas eu vou fingir que não ouço ele, ok?
Os BICHOS
__Combinado.
BOBBY
__Oi, gente. Chegamos.
GARIBALDO
__Vocês não tem idéia da aventura que eu passei. E Flora? Ela consegue me
entender?
MOLLY
__Deixa de ser besta. Donde já se viu humano entender o que animal fala?!
GARIBALDO
__Mas daí como vou voltar a ser humano de novo? Vou continuar assim para
sempre?!
MOLLY
__Não gostou?
GARIBALDO
__Que gatinha... Você precisa entender. Eu serei mais útil a vocês sendo
humano. Eu estou com um montão de coisas na cabeça, vou escrever um tratado, um
código sei lá... Regras para se cuidar dos animais, vou espalhar uns panfletos ensinando
as pessoas a cuidarem dos bichos, poxa, estou com tanta idéia.
LUDOVICO
__Não é que o homem está mudando?!
MOLLY
__Sei não... Mas vamos ao último teste, tente fazer com que a Dona Flora o
aceite...
GARIBALDO
__Como vou fazer isso?!
BOBBY
__ Ixi, isso eu não mostrei a ele...
MOLLY
__É fácil. Eu posso falar por que vivo vendo o Bob fazer... Tem que chegar
perto, sentir o cheiro, pelo cheiro sabemos se a pessoa é legal, ta bom, às vezes a gente
se engana, quando você acha que a pessoa é legal você abana o rabo, sinal que você está
contente...
GARIBALDO
__Igual quando eu cheguei aqui novamente?!
MOLLY
__Issooooo! Cuidado para que seu latido não saia rosnando. Algumas pessoas
mostram a mão então dê uma lambida e se te fizerem cafuné na cabeça, deite-se para
que eles cocem sua barriga. Ahahahaha... Que coisa mais boba.
BOBBY
__Com os gatos é tudo diferente... Quando a pessoa passa a mão, o gato se torce
todinho, como se estivesse se espreguiçando, também vive se enroscando nas coisas e
quando a pessoa não ta olhando, vão lá e puft, pulam no colo da pessoa.
LUDOVICO
__E vocês sempre serão cão e gato.
GARIBALDO
__E eu? Como fico?
. Flora faz um cafuné no animal.
FLORA
__Pelos poderes do meu espanador, que o cão vire homem e que não seja
lobisomem... Hahahahahah... Desculpe Garibaldo... Pelos poderes do meu espanador
que o cão volte a ser homem, que tenha aprendido a lição, tenha aprendido com o
coração... Crianças me ajudem falando as palavras mágicas: ALACAZUM
AUAUMIAUPIUPIUDODÓ!
. É provável que as crianças repitam, fazer alguns melindres de efeito com a luz e som,
e detrás do palco de bonecos sai o Garibaldo ator, um pouco atordoado.
GARIBALDO
__Nossa! Parece que desmaiei, tive um pesadelo... Cadê minhas ferramentas?
Meu crachá?
BOBBY
__É. De nada adiantou... Adeus...
GARIBALDO
__Cadê ele?!
MOLLY
__Tá indo embora.
GARIBALDO
__Por quê?
MOLLY
__Acha que você não lembra mais dele, acho eu...
GARIBALDO
__Claro que não... Bob volta aqui... Vem?!
BOBBY
__Por quê? Para você me aprisionar? Você esqueceu nossa amizade, esqueceu
de tudo...
GARIBALDO
__Não era sonho, o que seria de mim sem você de hoje em diante? Você...
(abraça o cachorro) Pensei que tinha perdido você para sempre.
FLORA
__É. Continua rabugento.
GARIBALDO
__Me dêem licença, que estou com pressa.
MOLLY
__Aonde vai com este alvoroço.
GARIBALDO
Generated by Foxit PDF Creator © Foxit Software
http://www.foxitsoftware.com For evaluation only.
abilio_machadof@yahoo.com.br artemosferaciadeartes@13 rocketmail.com
__Tenho de avisar a todos que os animais são nossos amigos. Tenho de contar
que os animais sentem frio, fome, sede, solidão, dor, que precisam de alguém que lhes
dê carinho, um abrigo, segurança.
LUDOVICO
__Fiquei tão feliz que acho que vou cantar.
BOBBY
__Eu vou atrás do Garibaldo para que ele não faça nenhuma burrada.
. A música continua e existe a troca de cenário, é o mesmo só que mais florido. Sobre o
muro a gata passeia sob a música do início.
BOBBY
__ São Bernardo me ajuda, aonde vou me esconder?!
MOLLY
__Miau. Não vai querer correr atrás de mim?
BOBBY
__Eu não sou destes. Tenho que me esconder e rápido.
MOLLY
__De onde veio este medo todo eihm valentão?
BOBBY
__De um brutamonte vestido de amarelo e com uma rede deste tamanho, assim
ó... Grandona!
MOLLY
__ Não vai me dizer que o Garibaldo está pelas ruas novamente...
BOBBY
__E veja só que nome. Vê se isto é nome de gente, até parece nome de galo...
Desalmado e sem coração.
GARIBALDO
__Molly onde está o Bobby?
MOLLY
__Pensei que tivesse mudado, estou decepcionada com o senhor...
GARIBALDO
__Do que está falando?
MOLLY
__Desta sua mania de querer enjaular o Bob...
GARIBALDO
__Molly. Eu só quero dar banho no desinfeliz...
MOLLY
__Santa gata, então é isso? Bobby!
BOBBY
__Que é?
MOLLY
__Não vai contar as novidades?
LUDOVICO
__Fale bem alto por que eu quero ouvir.
FLORA
__Eu não vou ficar de fora.
BOBBY
__Tá bom eu conto: Eu fui adotado.
TODOS
__Que ótimo.
MOLLY
__Espero que tenha sido por uma boa pessoa.
GARIBALDO
__Se estiver perdoado. Fui eu. Agora seremos inseparáveis.
BOBBY
__Viu que bom? Mas Gari podemos entrar num acordo sobre este negócio de
banho?
GARIBALDO
__Deste você não escapa...
BOBBY
__ Então só tenho uma alternativa... Pernas prá quem te quero.
GARIBALDO
__Volta aqui seu saco de pulgas... Bobby... Volta Bob...
. Saem correndo no palco, sob o riso dos outros e algumas palavras de ordem: pega, ixi
escapou, salta, ali atrás da moitinha... Risos.
. Do alto podem cair bexigas e dentro delas algumas mensagens sobre animais.
“O grande poder deste texto é conseguir trabalhar os bonecos, desde o princípio, a
escolha do lixo reciclável, a composição, a montagem, o acabamento, falando da
necessidade deste reaproveitamento inteligente e também aos poucos inserindo a fase
educacional que neste caso é a educação ambiental sob o tema do cuido e da adoção
responsável de animais como bicho de estimação”.
“Este texto foi escrito sob encomenda da Fundação Floripes Carias de Oliveira. Urbe
Natura. Comissão de Educação Ambiental”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente o que achou do texto se foi doseu agrado e ofereça sugestões... Obrigado.