sábado, 10 de outubro de 2009

a voz do coração

Poetha Abilio Machado.
Às vezes as pessoas pensam que professores são máquinas, que não sofrem, e que pelo ato de verem o mundo com outros olhos, tudo é compreendido...
Pensam que, nós os professores somos iguais aos poetas não entendemos nada do mundo? Será? Nada do amor, nada das pessoas. Acabamos por tomar o papel e caneta, a lousa e o giz, as folhas ainda brancas do caderno e os livros como amigos confidentes, simples parceiros de estudos.
Fazendo descobertas felizes debruçados sobre exercícios e planejamento.
Buscando por respostas às vezes tão simples em meio a garranchos verdadeiros ideogramas indecifráveis.
Nós, professor, professora, que vivemos fuçando para encontrar meios, somas, cálculos, caminhos e palavras para explicar o que muitas vezes é inexplicável, ou pelo menos parece ser, que é esta arte: o ensinar...
Eu entendo que esta comunhão chamada magistério é uma missão. Este amor em repassar o aprendido é algo crescido aqui dentro no peito, a felicidade sem igual quando este sonho torna-se realidade com o resultado alcançado, desde a primeira infância com a socialização até ao sabermos que aquele nosso aluno está na sala ao lado também ensinando, é algo belo, imensurável.
Ser professor é ser toda esta complexidade que para nós é tão simples: DOAÇÃO. É ser algo complexo e sem respostas, confuso às vezes, por outras parecer perfeito, mas também ter falhas, sim... E essas falhas consistem apenas na programação feita em cada SER, como obra de DEUS e o professor é falível e ao ter consciência disso torna-se tão próximo e tão amigo, tão mais aberto a ouvir, tão mais livre para falar...
É ser uma doação do inteiro porque todos estes itens vivem dentro de uma máquina poderosa, que às vezes confesso que pelo cansaço não é utilizada por completo, e mesmo não sendo este pouco aproveitado produz o que deve: SERES HUMANOS.
Professor não é mera máquina, busca ser centrado com problemas e dilemas.
Ser professor é estar presente, é abraçar a causa do recomeço, pois é assim ano a ano. É escola, é combustível para o caminho do acerto.
O professor é fonte de aprendizagem. Um ponto de referência. Quantos que hoje são professores não começaram imitando em brincadeiras os seus professores, quantos não se espelharam e hoje seguem mesmos passos...
O viver do professor é corrido e é simples.
Ele é simplesmente um entendedor de almas na mais pura forma de aplicação, encaminha os passos reservados de todo aquele que lhe surge nesta renovação constante, insiste em ensinar a qualquer que ouse em ultrapassar os portões, a quem sentar-se à frente, a quem esteja disposto a ouvir, sem a pueril escolha e sem o retrocesso dos preconceitos.
O professor simplesmente aceita a incumbência de formar mentes pensantes, cidadãos atuantes, homens e mulheres conscientes. Estruturar estes alunos e fazê-los se sentirem importantes, especiais...
Se visto o professor em mim com a alma, com amor, tenho a felicidade e o universo conspira para que tudo seja bom nesta profissão abraçada e tudo que aparece em meu caminho são meros detalhes nesta viagem chamada VIDA, desta maneira que escolhi para viver chamada ENSINAR.
Sem mais palavras... A você, a mim, a todos nós: __Parabéns...
out/09.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente o que achou do texto se foi doseu agrado e ofereça sugestões... Obrigado.