quinta-feira, 31 de dezembro de 2009

sombras

Sombras

Sombras

a música abre o espaço
busca nos vãos
o fim amargo
d’um vinho doce
rasgando a garganta
sob palavras não ditas
o olhar profano
subindo aos pés...
os restos jogados
lançados ao monte
de tão esquecidos
como o vômito que a reza te deu...
cantos devassos
o vento vestindo em abraço
sou eu largado
constante embaraço
chorando nas sombras...
Sou eu!!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente o que achou do texto se foi doseu agrado e ofereça sugestões... Obrigado.