sexta-feira, 26 de fevereiro de 2010

Deus recebe todos os dias... Bolsista Prouni experiencia...


Deus recebe todos os dias_________________________________________________.






Acordou assustado, esquecera de programar o despertador, eram oito horas menos vinte, breve o ônibus passaria, havia sido convidado para participar também da celebração das oito e meia.

Levantou rapidamente, acendeu o já enojado cigarro enchendo uma caneca de café frio e sentou-se ao vaso, ali repassava mentalmente os versículos que decorara, deu um largo sorriso e beijou a medalha presa por um cordão negro ao pescoço.

Ainda sentado em seu suor a explodir da testa ouviu o ônibus passar. Apanhou o telefone do bolso e tentou discar para o único taxista que lhe fazia favores como pendurar corridas, ficou torcendo, mas a voz macia e enjoativa informou...

__Telefone se encontra fora de área ou desligado...

Correu para a esquina à espera de conseguir uma carona para ele e a filha pequena, ela iria chegar atrasada à escola e ele a seu compromisso a muito esperado, ganhar bolsa de estudos, cursaria Artes Visuais, conseguido depois de atingir seus mais de quarenta anos carregados de dores com revacularização cardíaca, safenas, mamárias e balões nas coronárias.

Passaram alguns minutos e eis que surge a filha de um velho amigo que levara também seu moleque para o Reino da Loucinha, chegam ao mesmo tempo em que o sinal é ouvido, agora a margem é pequena, têm ainda seus cinco minutos e tudo dará certo...

E depois de gastar seus últimos trocados separados em cópias de documentos para serem apresentados à saleta da instituição, começa a viagem, no primeiro ônibus se divide entre ler o texto enviado pela Cia. Rodrigo D’Oliveira ‘ Missionários da Luz’ na qual pediram sua participação durante o Festival de Curitiba com suas orações para que tudo dê certo e a briga entre dois passageiros pelo uso dos bancos preferenciais onde um rapaz pediu ao homem que estava sentado o lugar para sua esposa grávida e o homem não gostou daquilo.

Ao chegar ao terminal ainda ouviu as últimas ameaças entre os dois e a pobre mulher puxando o menino-homem pelo braço para afastar ele do lunático do banco vermelho. Viu decepcionado ainda o ônibus que o levaria até sua IES arrancar mesmo sua corrida desengonçada sendo vista pelo retrovisor pelo motorista que sorria largamente ao talvez ver aquela cena e dar uma entortadinha de cabeça como a dizer:__Fica para a próxima otário!

Chegou enfim até a IES/TUIUTI, a primeira recepcionista o mandou ao bloco C, o vigia do C o mandou para a Pré Reitoria e dali então o mandaram subir ao 5º andar, sala PROUNI/PRAVALER/FIES, onde uma fila de jovens acompanhados por suas mães e pais aguardavam com pés e mãos tremendo pelo medo e ansiedade, sentado manteve contato com a esposa que saia do trabalho e perguntava sobre a filha que ficaria sob os cuidados da filha mais velha, já acadêmica em história na UFPr...

Ele um senhor perto de tantos, às vezes isso atrai conversas sérias e isso quer dizer informações, uma jovem mãe com seu filho de cinco anos comentava que pela quarta vez comparecia na fila de apresentação, ganhara bolsa parcial e o “carrasco” exigia um documento que não estaria disponível no momento, algo relacionado com a receita federal ou imposto de renda. Dizia que não havia argumentos e que nada abria a guarda do homem que se fechara atrás da escrivaninha.

Desde aquele momento começou a traçar o perfil de seu futuro algoz... Deveria ter pouco mais de um metro e setenta, gostava de deixar sempre a barba por fazer para impressionar o ar de cansaço e de muito atarefado, provavelmente rodaria a aliança de casamento com o polegar como símbolo de sua conquista, estaria sentado em uma cadeira alta para ficar maior aprendera isso com algum superior, talvez observando seu superior direto e inconscientemente assumia o mesmo papel o de constranger quem dele precisasse, deveria ter lutado para chegar ali e ai daquele que fosse ao menos parecido com ele, não haveria jamais de superá-lo, era sua função e agarraria com unhas e dentes. Estaria ganhando uma calvície prematura por isso deveria manter seus cabelos rentes, bem baixos, tinha síndrome militar, mas não conseguiu seguir carreira, preferiu outro tipo de poder com o mesmo intuito subjugar...

A jovem senhora entrou e saiu injuriada, pois lhe negara mais uma vez apanhar seu processo para enviar ao órgão capaz, a próxima da fila era uma menina cheia de sonhos acadêmicos queria cursar publicidade e a opção que lhe chamara foi fotografia e também com bolsa parcial, estavam ansiosas ela e a mãe, professora estadual em Araucária. Bem próximo ouviu a conversa e teve um susto pela entrevista, o homem se deu o direito de interrogar se realmente ela queria cursar fotografia, pois se incomodava de que ela ia investir um bom dinheiro e outros fatores que a ver geral não lhe cabiam na função, pelas informações que tinha só um coordenador acadêmico pode avaliar e discutir sobre o desenvolvimento de este ou aquele aluno, que trouxe mais alguns fatores ao perfil daquele homem que só ouvia a voz...

E ele, pai de quatro meninas entrou, coração batendo forte apesar de ter se preparado e tomado a medicação propícia, os documentos apresentados e aí é que o homem lhe olhou e disse:

__Essa documentação não será aceita, ‘você terá que ter que registrar para ter legalidade’e aqui está empregada doméstica tem que ser registrada em carteira. Mas já te adianto que se não ter aqueles documentos como tem na página do PROUNI daqui não passará...

‘ Ih agora o único trabalho de minha esposa ainda vai ser mandada embora se chegar na dona Dora e pedir registro, onde esse senhor vive, fora da realidade com certeza’ quanto mais pensava mais o perfil que traçara do homem se apresentava certo. Por isso olhou-o girar com o polegar a aliança de ouro grossa, mostrando o quanto gastara em investimento em seu relacionamento.

O homem saiu decepcionado...

E preparou-se para o outro dia, pediu dicas então como fazer uma declaração que fosse aceita, e recebeu dicas de quem elabora e participa até de licitações públicas. Redigiram as duas declarações e oito horas da manhã depois de deixarem a menor na escola se dirigiram ao cartório, registraram e reconheceram firma sob as normas da lei e lá foi ele, seguiu até a IES/TUIUTI novamente, chegou às 10: 20 e a fila estava maior que a do dia anterior, mais algumas aflições entre os jovens: um já era estudante e conseguiu bolsa e teve de desistir do curso a mando do homem da saleta de Deus para poder afetuar a bolsa isso sem ter a certeza que seus documentos seriam aceitos por que segundo ele o homem estava intransigente com a ausência do pai que estava em viagem e chegaria só na próxima semana, a outra veio e teve de correr atrás de uma resposta do IR do avó para apresentar, a jovem mãe estava a um canto inconsolada, no corredor todos foram despertos por uma funcionária que gritava com a filha e com o marido sobre um curso universitário que ela queria que a mãe ajudasse a pagar e a senhora estava irremediável, dizia que para que pedisse aos sogros que ela já estava criada foi assim algo extraordinário pois o seu jovem marido estava ali e apenas sorria baixinho das acusações de vagabundagem...

Citou aos colegas o acontecido do dia anterior, outros também contaram suas experiências e a citação de Karl Marx foi colocada:

“Quer saber o que vai pela alma de um homem? Dê a ele um punhado de dólares e uma escrivaninha.” Onde pode se ganhar uma ninharia, mas o ego se torna incontrolável... Com o poder de ser Deus...

Ânimos calmos, iniciação de rede começada entre alguns que esperavam...

Novamente chegou a vez do homem, entrou e educadamente apresentou:

__Estes são os documentos que viu ontem e estas as duas declarações, registradas e reconhecidas em cartório, emprestei dinheiro para poder pagar pois isso.

__Mas perdeu seu tempo por que não tem validade alguma.

__Como não, é registrada e descrita na forma da lei...

__Não, não posso aceitar, eu sou um mediador entre você e o PROUNI e não vou aceitar, eu decido...

__Mas não é quem decide, se o Sr fizer o favor de enviar, aí o pessoal do PROUNI decide se aprova ou não...

__Já disse que não!

__É só dispor de um pouco de vontade e enviar... Como lhe apresentei documentos o Sr pode me fornecer um documento por escrito sobre o motivo para não aceitar minha inscrição?

__Não lhe darei nenhum e veja não estou com falta de vontade senão nem lhe atenderia... Você deve procurar um computador e acessar o site do MEC, depois PROUNI, aí entre no ‘fale conosco’ e descreva o acontecido e que eles me mandem uma resposta direta a mim caso contrário eu não aceito...

__O Sr. ontem disse que precisava de registro e eu o fiz, sua intransigência é sem conhecimento, o senhor já tem domestica ou diarista?

__ Não!

__Aí se tivesse saberia que nem todas as domesticas têm registro, e eu RPA é usado para ser prestador de serviços a grandes empresas que exigem para efeitos legais de pagamento e não em casas residenciais, eu vou entrar em contato mas vou citar sim mas incluirei que o Sr. Sergio não quis aceitar...

__Peraí. Se vai citar diga que foi devido a sua declaração simples...

__Registrada e reconhecida por lei, senão não teríamos cartório de registros não é mesmo?

__Aqui não vale... Espero pela resposta amanhã senão sua bolsa é transferida a outro.

__Além de servir por mais de 34 anos a esta sociedade capitalista que tirou a única coisa que eu teria de maior valor a minha saúde ainda recebo isso... Pode esperar que eu volto...

Saiu tendo os olhares arregalados dos remanescentes da fila, alguns que só iriam ser recebidos à tarde e que ali já tiveram sua castração pois sem o uso de senhas de chegada a terceira depois de mim havia sido chamada e avisada a passar o recado a quem chegasse que dali em diante só depois e bem depois do almoço.

Dentro do espaço procurou saber se havia inclusão digital, depois de vários interlocutores noticiou-se que na biblioteca teriam computadores disponíveis e aí mais uma decepção o uso dos mesmos são para os alunos e não para a comunidade... Peraí então não é inclusão digital aplicada como se lêem em alguns cartazes... Também nenhuma lan house próxima, o único lugar que teria seria no maior símbolo capitalista já eregido, o Shopping Center, no caso o Shopping Barigui.

No ponto de ônibus vários bolsistas em derradeiras reclamações e lágrimas, havia uma menina que chorava inconsolável aos braços da mãe...

E achando uma lan elaborou uma demanda na página de contato do PROUNI... Como também enviou por e-mail, anexando as declarações... Só que na lan não tinha scanner para apresentar as registradas então só foram os exemplos pegos no site de normas e regras de declarantes abduzidos da internet que carregava no pen drive.

Uma experiência colossal frente a um homem comum com síndrome de Deus... Acho que deveria me candidatar a cursar psicologia talvez, mais uma vez...

Vejamos hoje se Deus estará lá sentado em sua cadeira de rodinhas para guiar a vida de alguns de seus pobres mortais!!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente o que achou do texto se foi doseu agrado e ofereça sugestões... Obrigado.