quinta-feira, 13 de maio de 2010

Lembrando das horas perdidas.

Lembrando das horas perdidas.




ESTAVA SENTADO na noite

Frente ao computador

SOZINHO E NO ESCURO

Pensava eu nos prazeres

Nos que eu desejava,

Aqueles que surgem na hora

Ao esfregar-me sob a água morna

Na hora que eu quisesse,

os nomes exalavam poesias

os cantos

sempre que canto,

A longa jornada recomeça

A pele arrepia

O sangue toma os vasos

Meu sexo enrijece

Volta e meia lembro da primeira vez

Quando me fazia sentir tremores pelo corpo

Como crises só para fazer-lhe a vontade

Senti então desejo ao invés de raiva.

SEM MARCAR HORA

TUDO PARECIA UM SONHO

COMO NOS SEUS velhos TEMPOS

TER AMOR É como SONHar

Quando você me acorda nas horas perdias

esquece um só momento

O tempo para

e não há nada no mundo

que nos atrapalhe

nos murmúrios dos lençóis

ouvir essas palavras

de mim mesmo a lembrar de você

me fazem descer os dedos e a tocar

um tanto inquieto meu segredo

pois é quase a mesma hora

hora das horas perdidas

mas não esquecidas...



Abilio Machado. 042010.

Alma prostituída...

Abril2010.

Rasgo minhas roupas
O retrato teu em meus dedos
E sozinho vivo meio perdido
Nas lembranças que em mim resplandecem
Sinto a distância num sonho quase infantil
Me iludo falando com sua face descolorida
O tempo gastou a tinta que coloria o mundo
Sou um pobre louco desvairado
De coração ardente de saudade
Com lágrimas de medo
Desaguando em tropeços
E eu desnudo de paz
Nu em minha pele que verte
Sonhos, memórias, desespero
Minh’alma de paixão incansável
Prostituída a divagar
Nas noites insones
Gritando teu nome nos cantos
Vazios e escuros
Que são recantos preparados
Pela fuga do corpo teu...

Cultura... Um devaneio ou uma dissertação sobre a cultura campolarguense

A NOSSA CORRIDA PARA O APRENDIZADO CULTURAL ACABOU DE COMEÇAR


Conceito de Cultura

‘A cultura é um todo complexo que inclui conhecimentos, crenças, artes, leis, moral, costumes e qualquer outro tipo de capacidades, habilidades ou hábitos adquiridos pelo homem como membro de uma sociedade’.

Cultura é vida que se experimenta e se expressa nas mais diversas formas de arte, nas práticas e valores do cotidiano, nas casas, nas ruas, nas praças, nos teatros, nos museus, nas periferias, nos campos, nas cidades.



A cultura é um campo múltiplo e vário, referenciado:

• às relações sociais

• econômicas

• Políticas

• ao mundo simbólico,

• à expressão da intelectualidade,

• das artes e da cultura popular.

Todos somos seres culturais...

Cultura é o resultado das relações que os homens estabelecem em seu meio e com a natureza.

... Enquanto a arte dela é uma ABSTRAÇÃO...



Em antropologia...

[...] cultura significa tudo que o homem produz ao construir sua existência: as práticas, as teorias, as instituições, os valores materiais e espirituais. Se o contato que o homem tem com o mundo é intermediado pelo símbolo, a cultura é o conjunto de símbolos elaborados por um povo em determinado tempo e lugar.

As diferenças entre o homem e o animal não são apenas de grau, pois, enquanto o animal permanece mergulhado na natureza, o homem é capaz de transformá-la, tornando possível a cultura.



Características da cultura...



1. A Cultura é inventada.

Não surgiu e do nada, foi criada por uma inter-relação de indivíduos que põem em comuns idéias e habilidades determinadas.

Esta invenção consta de três elementos interdependentes:

Um sistema ideológico ou componente mental constituído por crenças, valores, costumes que o homem aceita ao definir o correto ou o incorreto;

Um sistema tecnológico: habilidades, artes e ofícios que lhe permitem fabricar bens materiais;

Um sistema organizativo para coordenar eficientemente a conduta de um indivíduo com os demais.



2. A Cultura é aprendida.

Não inclui respostas e predisposições hereditárias. Sem embargo, devido ao fato de, na sua maioria, o comportamento humano ser mais aprendido que inato, a cultura afeta uma ampla gama de comportamentos. É transmitida inconscientemente, especialmente nos primeiros anos de vida. Pode também ser transmitida por influências externas que provêm das amizades, dos mediadores de cultura, escola, família, rua, instituição... Etc. Distinguem-se três tipos de aprendizagem cultural:

Formal, inculca-se na infância no ambiente familiar;

Informal, aprende-se pela observação e inter-relação com o ambiente;

Técnico, vem dos ensinamentos dos professores no ambiente acadêmico.



3. A Cultura é partilhada socialmente.

• É um fenômeno de grupo, entendendo como tal desde a sociedade até à família. Para que seja partilhada é necessário que seja aceita pela maioria da sociedade. Isto implica que os indivíduos que não possuem certos aspectos culturais podem assumir o risco de serem rejeitados.



4. A Cultura é diferenciadora.

. As culturas partilham certas semelhanças, mas também podem ter grandes diferenças, o que dá lugar à diversidade cultural. Isto leva a que existam diferenças significativas no comportamento dos produtores e nos consumidores de cultura.



5. A Cultura é adaptativa.

. Altera-se de uma maneira gradual e constante, em algumas sociedades muito lentamente, e noutras com grande rapidez.

6. A Cultura é organizada e integrada.

. Toda a cultura é coerente. Comportamo-nos, pensamos e sentimos de uma maneira consistente com a de outros membros de uma mesma cultura apenas porque parece “natural” ou “correto” fazê-lo.



7. A Cultura tem um carácter prescritivo.

. É constituída por normas e diretrizes da sociedade que determinam qual é o comportamento apropriado segundo as circunstâncias, logo constituem padrões de conduta que se não forem cumpridos acarretam “sanções” e “castigos”.



A cultura é dinâmica e é alterada ao longo do tempo.



NENHUM

DE NÓS

É TÃO CAPAZ QUANTO

TODOS NÓS.

Warren Bennis



Conceitos e valores culturais

O afastamento é causa: ‘dividir para enfraquecer’.Os mecanismos?!



Vamos refletir...

Ficarmos discutindo o que é cultura, seus conceitos e afins é uma regressão, um tanto cansativa, ao que vem sendo debatido desde a muito, mesmo antes de integrarmos este projeto...

Temos que sim discutirmos:

__ Para nós o que é esta cultura ATUANTE...?

Pois em elementos específicos podemos definir que já têm tutelaria.



A cultura é formada por um conjunto de elementos:



Materiais: Formas de produção;Gastronomia;Técnicas de construção;Vestuário;Etc.

Não materiais:Língua;Religião;Arte; Crenças;Etc.



Destes elementos qual deles digamos é o mais ignorado em nosso município...



A grande parte dos integrantes que aderiram ao projeto são os fazedores de arte, seja na produção, ou seja, no domínio dos instrumentos da arte, porque viram nele uma luz de esperança para saírem deste breu de desencontros ou de desamparo...



Primeiro com a falta de incentivos e segundo com a falta de valorização através das oportunidades...



Diversidade cultural: Dança, Música, Acervo cultural, Arte cênica, Arte plástica, Institucional, Artesanato.

Ao Estado o papel que lhe cabe

A administratividade pública não produz cultura, mas é responsável por políticas públicas, que democratizam ao cidadão os meios de gerar ou fazer fluir o fato cultural ao produzir e consumir cultura.

...Será que ele sabe?!



‘O papel da Secretaria e seus setores é o de ser fomentadora e indutora de atividades da cultura e deve ir ao encontro de uma política pública de acesso aos bens e serviços culturais e também, de criação de oportunidades de expressão e auto-afirmação de todos os campolarguenses’.



Cabe à Secretaria quanto a Estado, criar condições de produção, difusão, preservação e oferecer livre circulação dos bens e serviços culturais!



“Se a arte está associada ao miocárdio (coração),

a função irredutível da Secretaria da Cultura

é desobstruir as artérias

e permitir a livre circulação

para que haja vida.” João Sayad.

Dimensões da Cultura

1. Cultura como expressão simbólica

2. Cultura como direito e cidadania,

3. Cultura como economia que gera renda e trabalho



Implementação de um Sistema de Cultura funcional:

A) Implantação do Conselho Municipal de Cultura e do Conselho Municipal do Patrimônio Cultural, em bases realistas e responsáveis, com inclusão de artistas locais (acadêmicos e de notório saber).



B) Implantação do Fundo Municipal de Cultura, com base em experiências exitosas em nível nacional.

C) Instituição de um grupo de trabalho formado pelas Secretarias de Cultura, Planejamento, Fazenda e Associações artísticas ( entidades, grupos, projetos) para elaboração do estatuto e da atuação deste Fundo.



D) Atuação em parceria com entidades da sociedade campolarguense por meio de gestão compartilhada de projetos culturais;



E) Estreitar relacionamento com as políticas públicas deste sistema cultural com experiências de outras secretarias: de cidades vizinhas, do Estado e do MinC,



F) Estreitar parcerias com os fazedores da arte, criando um banco de dados com identificação, mapeamento e rede de relacionamento.



G) Facilitar o acesso aos espaços públicos e privados, bem como outros acessos como transporte e comunicação.



H) Promover cursos e workshops de formação buscando a profissionalização e melhoria na qualidade do produto destes artistas.

I) Promover consultoria em elaborar e encaminhar projetos culturais e sociais.



“A meta em longo prazo é transformar

a Secretaria numa

Instituição de qualidade

e com Reconhecimento público,

bem como deixar visível a parceria com os

valores locais,

sem entremeios que afetem no

desenvolvimento criativo e qualitativo

do produto artístico...

A bem representar a cultura (ARTE) local”



Principais Desafios:

1. Integrar as políticas públicas a cultura com as mesmas políticas usadas na educação, no ESPORTE, no turismo, na ciência e tecnologia, meio ambiente e para afirmar ela como geradora de trabalho e renda;

2. Desenvolver uma estreita parceria com a área de educação de forma a assegurar que os sistemas de ensino incorporem a cultura como eixo estruturante do processo pedagógico;

3. Desenvolver ações que potencializem as escolas como pontos de difusão e produção cultural;

4. Modernizar e informatizar os serviços da Biblioteca Pública Municipal, Museu Histórico de Campo Largo e Casa da Cultura promovendo o acesso a bens culturais e à informação estimulando experiências e práticas leitoras, pesquisa, parcerias que a transformem em centro de convivência e circulação de conhecimento;

5. Dotar o Município de um espaço cultural e de uma fundação cultural de referência estadual e nacional;

6. Desenvolver ações para formação e melhor capacitação de gestores culturais governamentais e não governamentais;



7. Ampliar os circuitos culturais da rede na cidade, se utilizando de espaços nos bairros, nas escolas e outros; e também nas cidades circunvizinhas em parceria com as prefeituras e entidades culturais;

8. Assegurar às instituições, grupos e associações de cultura do Município, instrumentos de sustentabilidade e subsistências;

9. Desenvolver e ampliar políticas que relacionem cultura e pensamento visando a intensificação da vida cultural, da pesquisa e do debate ntelectual;

10. Apoiar a aplicação de pontos de cultura nas escolas e bairros, no caso utilizar os centros de convivência;

11. Desenvolver políticas para a juventude campolarguense de modo a inserir o jovem na formação artística e no acesso aos bens culturais, dando ordem ao ofício;

12. Identificar, registrar e resgatar as manifestações populares tradicionais expressas nos bens materiais e imateriais( pesquisa e acervos);

13. Identificar, inventariar e preservar os patrimônios naturais, imateriais, móveis, edificados da cidade de Campo Largo e região. Criar um mapeamento cadastral da arte dentro do espaço conservando a veracidade da informação.

14. Promover educação patrimonial através de programas que contribuam para a valorização das referências de valor histórico e artístico na sociedade, entidades e escolas;

15. Tratar o patrimônio cultural dentro de uma perspectiva de desenvolvimento sustentável;

16. Promover a modernização do Arquivo Público Municipal, dinamizando a informatização das informações e documentos que garantam o acesso à pesquisa e a preservação da memória campolarguense.



Comunicação

1) Ampliar canais de comunicação: cadastro artístico, reuniões de planejamento com agendamento prévio, fóruns, seminários, cursos e workshop cultural.

Além de manter outros canais de comunicação abertos: Internet (ning, blogs, twitter), telefone, outros.

2) Reconhecer e Divulgar as manifestações culturais realizadas no município.



O primeiro passo de reconhecer uma arte:

é saber de sua existência

e o segundo:

é delas fazer uso...



Talvez o trágico do meio artístico de nosso município não seja a inexistência de apoio ou de acesso, mas sim da falta de união entre os diferentes ramos da arte, onde a desigualdade é criada pela troca do todo ao benefício de si.



“O mais trágico de tudo é a naturalidade com que todos nós convivemos até hoje com essa realidade...”



Sabemos todos nós que os sistemas humanos são movidos por conceitos.



E se quisermos mudar a realidade de nossa ARTE, abstrato e referencial da Cultura, devemos mudar os conceitos sobre ela e o trato com seus fazedores.





Fim?! Ou um recomeço num pensamento contemporâneo sobre arte!