sexta-feira, 10 de agosto de 2012

Egipto antigo (3150 a.C.-30 a.C.)


No Egipto antigo, apenas famílias de alta classe usavam roupa, e mesmo assim apenas os adultos pois era o mesmo que riqueza. Muitas crianças e escravos não usavam nenhuma roupa. Nos primeiros tempos, os homens vestiam um tipo de tecido que envolvia o quadril como uma fralda, ou uma saia curta, e as mulheres, um tipo de vestido, atado às costas e que deixava os seios à mostra. Lentamente, os homens passaram a vestir saias cada vez mais compridas, e os vestidos das mulheres passaram a cobrir os seios. Depois, ambos os homens e as mulheres passaram a usar um tipo de roupa de peças rectangulares de tecido, com um buraco no meio para a cabeça. Alguns calçavam sandálias, mas a maioria andava descalças.
http://pt.wikipedia.org/wiki/Roupa
O chapéu que os faraós e outros nobres usam é Klaft, de tecido grosso às riscas. Fixava-se nas têmporas e podia cobrir, ou não, as orelhas.
A maquilhagem moderna pode ter tido os seus primórdios no Antigo Egipto, tanto pela destreza em realçar os rostos, como causar desconforto a quem o usa. Kohl era carvão tratado para aumentar os olhos nas imagens hieroglíficas que todos conhecemos assim como cinzas e terra. Coloriam as pálpebras de verde ou negro para que parecessem maiores e pintavam a cara de branco e vermelho. Veias na testa eram delineadas a azul, os lábios eram decorados com cor carmim e os dedos das mãos tingidos com um tom vermelho-alaranjado com hena (tintura de cabelo natural). Finalmente, o corpo era untado com óleo para manter a pele macia no tempo quente.

Joalharia Egipcia

A joalharia Egípcia foi mais que decorativa, era mágica, com um cunho religioso, um amuleto, uma forma de pedir protecção a todos os deuses. Os seus significados eram lidos nos símbolos e cores utilizadas em cada peça. Muitas das peças usadas durante a vida eram usadas pelo dono no túmulo como forma de auxiliar e proteger no caminho da passagem para a vida até ao momento de pós-morte.
Os significados mágicos eram transmitidos não apenas pelos aspectos formais, os aspectos cromáticos importavam. O azul-escuro representava o céu nocturno, enquanto que o verde era o renascimento e o vermelho simbolizava o sangue e a vida.
Às gemas também eram atribuídos poderes curativos. A ágata, por exemplo, protegia contra picadas de aranha. O lápis-lazúli contra ataque de cobra.
 Image Image
Jóias Egípcias


Image
Pilar (djed)
Representa estabilidade e a possibilidade de renascimento no pós morte.

Image
Olho (wedjat)
Representa o olho de Hórus, o qual ele perdera em uma luta contra o mal e que recuperara com a ajuda de poderes mágicos. O olho era usado para proteger as múmias e afastar o mal.

Image
Cinto de Ísis (tyet)
Invocava o poder protector da deusa.
  

Image
Amuleto em forma de escaravelho para protegê-lo contra os perigos do além. 


No final da mumificação o corpo recebia uma máscara com o rosto de seu dono para ajudar o espírito (a essência da personalidade), a reconhecer o seu corpo. Eram feitos em ouro maciço ou em madeira folheada a ouro.


Image
Máscara mortuária de Tutankhamon, feita com duas camadas de ouro, vidros coloridos, coralina e lápis-lazúli


Image
Caixão de Tutankhamon


Enciclopédia Histórica do Traje
http://www.business-with-turkey.com/guia-turismo/hena_turca.shtml
http://www.portaldasjoias.com.br/index.php?option=com_content&

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente o que achou do texto se foi doseu agrado e ofereça sugestões... Obrigado.