terça-feira, 12 de maio de 2015

TEATRO DO REALISMO



O Realismo se manifestou fortemente na literatura, mas também teve sua representatividade no teatro. As ideias e fundamentos são basicamente os mesmos, a diferença é apenas a forma como o texto chega ao público (leitor/expectador).

No teatro realista, assim como na literatura, o heróis do romantismo é trocado por uma pessoa comum, do cotidiano. A temática é quase sempre engajada, abordando os problemas sociais da época. A linguagem rebuscada usada no romantismo é trocada por uma linguagem semelhante à que o povo utiliza, estas são algumas das principais características encontradas nas peças teatrais realistas.

Quanto aos autores, grande dramaturgo realista é o francês Alexandre Dumas (1824-1895), o autor da famosa obra “A Dama das Camélias”. Fora da França, podemos destacar o norueguês Henrik Ibsen (1828-1906), que escreveu “Casa de Bonecas”, tratando da situação social da mulher. Outras peças que podem ser destacadas por sua importância para o teatro do realismo são “Ralé e Os Pequenos Burgueses” do russo Gorki (1868-1936) e “Os Tecelões” do alemão Gerhart Hauptmann (1862-1946).

O drama realista ganhou importância especialmente com as peças de Henrik Ibsen, que retratou acontecimentos sociais da época em suas peças teatrais. Já no teatro inglês, George Bernard Shaw abordou em suas peças os problemas sociais de maneira engraçada e engenhosa. Sua primeira obra foi “Casa de Viúvos, em 1892.

No Brasil, o teatro realista retrata a realidade do povo brasileiro, colocando ênfase nos problemas sociais identificados na época. Em vez dos personagens românticos, as peças trazem como personagens os trabalhadores e as pessoas mais simples.

Quanto aos autores, temos Machado de Assis, que escreveu “Quase Ministro”; José de Alencar, que escreveu “O Demônio Familiar” e Joaquim Manuel de Macedo que mereceu destaque com a peça “Luxo e Vaidade”. Além destes, houveram outros com menor destaque, como Artur de Azevedo, Quintino Bocaiúva e França Júnior.

No teatro, o Realismo foi uma tentativa de retratar a vida de modo objetivo, pois veio como uma reação aos melodramas e às comédias sentimentais antes apresentados, e acabou por assumir diversas formas, desde o leve realismo com a comédia de costumes, até a pesada tragédia apresentada pelo naturalismo.

Fontes:
http://www.teatro.noradar.com/teatro-e-o-realismo.htm
http://pt.wikipedia.org/wiki/Realismo#O_Realismo_no_teatro
http://www.klick.com.br/enciclo/encicloverb/0,5977,POR-12425,00.html
http://lionel-fischer.blogspot.com.br/2010/06/o-realismo-no-teatro-brasileiro-1-fase.html
http://www.alub.com.br/mundoalub/alub_medio/alunos/3AnoMatutinoVespertinoRealismoTeatroProfSantoz.pdf

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente o que achou do texto se foi doseu agrado e ofereça sugestões... Obrigado.